quarta-feira, outubro 10

Forget your troubles, c'mon get happy!

Revirando minhas memórias, não é que eu encontro essa música da Judy Garland? Tá, ela só canta a música, eu sei lá quem diabos compôs, mas isso não vem ao caso. O importante é que eu estou voltando à minha normalidade. Não que eu esteja simplesmente colocando de lado absolutamente tudo o que eu vivi até aqui, até a parte da minha vida que eu chamo de "normal" (embora eu saiba que esse termo não corresponde à realidade).



O fato é que tá dando pra ficar feliz! Olhando assim até parece que eu tava numa depressão profunda, mas o que acontece é que eu simplesmente parei de pensar somente numa coisa. Tudo bem, eu ainda sou aquela maníaca que afunda numa coisa quando gosta, quando empolga. Mas não estou vivendo em função de uma única dessas coisas. E isso é, pra mim, ter conseguido.

Aos poucos tudo vai se ajeitando. Se por um lado nossas expectativas não são correspondidas, por outro surgem coisas inesperadas que agitam a vida outra vez. Não são substitutos, apenas algo novo. Ou talvez seja apenas meu jeito novo de ver tudo. Meu jeito de conseguir ver tudo de novo.

Às vezes é triste pensar que tudo são fases e que a gente tem que deixar passar: ficam pra trás as modas, os gostos, as pessoas e mesmo pedaços da gente. É ruim pensar que uma parte minha vida vai ficando pra trás, mas ao mesmo tempo eu penso que tem mais por vir. É estranho ter que se acostumar com algo novo, é estranho ter que se desacostumar. Esse é mais um daqueles momentos transitórios no qual naturalmente eu fico sem chão: não sei o que fazer, não sei pensar, não sei o que vai ser, não sei o que eu quero. Mas enquanto antes parecia que isso era uma crise, agora é apenas mais um estado. Não vai ser assim pra sempre, embora eu possa voltar várias vezes pra ele.

Bem, é óbvio que eu já saí do espírito mega animado do início do post, mas isso é culpa do Phil Collins e suas músicas léndas e emotivas. Não significa, no entanto, que eu esteja depressiva. Estou simplesmente... Eu.

2 comentários:

lévia da yakusa disse...

as fases parecem sempre ser eternas quando somos obrigados ou as vezes nos voluntariamos a passar por elas...enfim...é sempre dificil largar algo que se tanto preza......mas ao mesmo tempo outras coisas surgem tb e que devem ser prezadas!!!!!!!!!!!!!!!


acho que escrevei porque AF está mesmo chegando!

bjo mulher!

Martchéénha disse...

Comentando mega atrasada, de novo... Mas esse post eu tinha a impressão de ter comentado, e só agora vi que não tinha!

Mas como já falamos um tanto sobre isso, só vou dizer: vc escreve mesmo bem!!

Besitos!